Onésimo, da escravidão à liberdade em Cristo

Ao estudarmos a Epístola de Paulo a Filemom, é crucial compreender quem foi Onésimo para um entendimento mais abrangente. Além de ser uma figura central na Carta a Filemom, Onésimo também é mencionado na Epístola de Paulo aos Colossenses. Neste estudo, exploraremos tudo o que conhecemos sobre Onésimo.

Quem era Onésimo?

Onésimo, basicamente, era um escravo fugitivo que pertencia a Filemom. O nome Onésimo significa “útil”, sendo comum entre os escravos da época. Na Epístola a Filemom, especialmente no versículo 11, Paulo faz um jogo de palavras, descrevendo Onésimo como aquele que “antes te foi inútil; atualmente, porém, é útil, a ti e a mim”. Paulo destaca que, como um escravo rebelde, Onésimo não havia sido útil a Filemom, mas, ao se arrepender de sua rebeldia devido à transformação do Evangelho em sua vida, tornou-se útil tanto para Paulo quanto para Filemom.

Onésimo também estabelece uma ligação entre as Epístolas aos Colossenses e a Epístola a Filemom, indicando que ambas foram escritas e enviadas do mesmo local, provavelmente Colossos, onde Filemom residia.

A Carta a Filemom sugere que Onésimo, além de ter fugido, causou algum prejuízo a seu senhor:

“E, se te fez algum dano, ou te deve alguma coisa, lança-o minha conta. Eu, Paulo, de meu próprio punho o escrevo, eu o pagarei, para não te dizer que ainda a ti mesmo a mim te deves.” (Filemom 1:18,19)

João Calvino sugere que o termo “prejuízo” pode indicar que Onésimo havia furtado algo da propriedade de Filemom. Outra possibilidade é que, conforme a lei romana, quem hospedasse um escravo fugitivo tornava-se devedor ao senhor, podendo ser esse o caso mencionado por Paulo no versículo 19.


Onésimo e a Escravidão no Império Romano

Para compreender melhor a história de Onésimo, é necessário considerar a situação da escravidão no Império Romano. Com cerca de sessenta milhões de escravos, a escravidão era comum e crucial para a sociedade e economia da época.

No Império Romano, não havia leis para proteger os escravos, e os senhores detinham poder absoluto sobre eles. Fugas eram frequentes, e os escravos fugitivos enfrentavam punições severas, incluindo a marca de fugitivo na testa e a possibilidade de serem crucificados.

As possíveis razões para Onésimo ter se tornado escravo variam, desde nascimento em uma família escrava até crime específico, dívidas, ou venda pelo próprio pai. A escravidão era uma realidade implacável na época, com os escravos sendo tratados como meras ferramentas de trabalho.


Onésimo e a Carta de Paulo a Filemom

Onésimo, transformado pelo Evangelho, tornou-se colaborador de Paulo durante sua prisão em Roma. Apesar de sua libertação espiritual, ainda tinha obrigações legais. Paulo escreve então uma carta a Filemom, pedindo que receba Onésimo não como um escravo fugitivo, mas como um irmão em Cristo.

“Eu bem quisera retê-lo comigo, para que em teu lugar me servisse nas prisões do evangelho.” (Filemom 1:13)

O retorno de Onésimo representava a demonstração prática de sua verdadeira conversão. Para Paulo, significava abrir mão de um valioso auxílio na prisão. Para Filemom, era a oportunidade de exercer o verdadeiro perdão e amar o próximo como a si mesmo.

A carta de Paulo reflete o perdão, a reconciliação e a graça, mostrando que, em Cristo, os laços de escravidão são quebrados, e todos são iguais perante Deus. A história de Onésimo nos ensina lições valiosas sobre o poder transformador do Evangelho e a importância do perdão e da reconciliação em nossas vidas.


Onésimo: Um Exemplo de Transformação em Cristo

A história de Onésimo nos proporciona uma visão única da dinâmica entre senhor e escravo na sociedade romana e destaca o impacto transformador do Evangelho na vida de um indivíduo.


Referências Bíblicas:

  • Epístola a Filemom
  • Epístola aos Colossenses
  • João 8:32 - “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”
  • Isaías 61:2 - “A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes;”
  • Romanos 6:4 - “Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.”
  • Filemom 1:10-12 - “Peço-te por meu filho Onésimo, que gerei nas minhas prisões; O qual noutro tempo te foi inútil, mas agora a ti e a mim muito útil; eu to tornei a enviar.”
  • Filemom 1:16 - “Não já como servo, antes, mais do que servo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no SENHOR?”
  • Filemom 1:18,19 - “E, se te fez algum dano, ou te deve alguma coisa, lança-o minha conta. Eu, Paulo, de meu próprio punho o escrevo, eu o pagarei, para não te dizer que ainda a ti mesmo a mim te deves.”

Postar um comentário

2 Comentários

Nosso compromisso é transformar cada artigo em uma fonte de inspiração. Durante o último ano, nosso site cresceu exponencialmente, e agora estamos dedicados a superar suas expectativas com conteúdo de excelência. Caso identifique qualquer erro teológico, informacional ou doutrinário, sua voz é fundamental. Deixe seu comentário abaixo, e nós agiremos imediatamente para aprimorar ainda mais os nossos conteúdos.